• Linha Direta
  • UCI
  • 213 002 042 | 932 442 604
  • Crédito habitação jovem Quais os requisitos?

    Crédito habitação

    Crédito habitação jovem – Quais os requisitos?

    19 MAI 2022
    Tempo de leitura: 9 Minutos
    ESCRITO POR UCI
    Crédito habitação jovem – Quais os requisitos?

    Se está a pensar comprar casa, mas acha que o banco pode não lhe conceder financiamento por ser muito novo, está enganado. Embora existam alguns requisitos para conseguir a aprovação, o crédito habitação jovem é uma realidade.

    Crédito habitação jovem: a idade tem vantagens e desvantagens

    Existem muitos critérios que os bancos consideram quando estão a avaliar a concessão de crédito habitação jovem. Um deles é, sem dúvida, a faixa etária em que os clientes estão inseridos. Afinal, entre os 18 e os 30 anos, por regra, vive-se uma fase de mudanças e experimentação, em que os salários são mais baixos e muitas vezes não há ainda uma situação profissional estável. Como consequência, há um maior nível de risco na aprovação das operações de crédito.

    Nesse sentido, as instituições bancárias podem ser um pouco mais rigorosas na hora de pedir garantias para conceder o crédito habitação jovem.

    Por outro lado, a idade também pode ser um forte aliado de quem está a pedir um crédito habitação jovem, uma vez que permite aumentar o prazo do empréstimo.

    Se tem até 30 anos, saiba que tem a possibilidade de aceder ao prazo máximo permitido pela entidade financeira, que pode ser superior a 30 ou 35 anos e isso pode significar ter uma prestação mensal mais reduzida, uma vez que o pagamento do empréstimo é repartido por um maior período de tempo.

    Assim, ter uma prestação mensal mais suave pode jogar a seu favor e ajudar à aprovação do crédito habitação jovem, uma vez que a prestação mais baixa representa um esforço financeiro menor e uma taxa de esforço mais baixa.

    O reverso da medalha é que quanto maior o prazo mais juros são cobrados, acabando por se pagar mais pelo empréstimo. O aconselhável é que o prazo no crédito habitação jovem seja o menor possível, dentro das suas possibilidades, para não estar a pagar juros desnecessariamente. Neste cenário, tem margem até ao prazo máximo possível (que varia de instituição para instituição) para definir uma prestação que lhe permita cumprir com as suas obrigações para com o crédito habitação jovem e manter a sua qualidade de vida.

    Crédito habitação jovem: requisitos essenciais

    1. Uma boa entrada inicial

    Se quer pedir um crédito habitação jovem, este é um dos requisitos mais relevantes. Quanto maior for o valor que tiver disponível para dar de entrada, maior é a probabilidade de conseguir ter o crédito habitação jovem aprovado.

    Idealmente deve ter, para dar de entrada, pelo menos, 10% do valor de compra da casa, mas se for possível esta percentagem até deve ser superior. Por dois motivos importantes:

    • Atualmente, por recomendação do Banco de Portugal, as instituições bancárias não aprovam empréstimos para compra de casa com financiamento a 100%. Sendo que no máximo, emprestam até 90% do valor da casa.
    • Quanto maior o valor da entrada, menor será o montante de empréstimo pedido, o que lhe permitirá reduzir o prazo ou reduzir o valor da prestação. Em ambas as opções o nível de risco será menor, o que favorece a aprovação e a negociação de melhores condições.

    2. Taxa de esforço reduzida

    A taxa de esforço é o indicador que traduz o peso dos compromissos com créditos no rendimento mensal. Idealmente, a prestação mensal do crédito habitação jovem não deve representar um encargo superior a 35% ou 40% dos seus rendimentos líquidos.

    Ter uma taxa de esforço baixa é ter um bom argumento para conseguir a aprovação do crédito habitação jovem e, portanto, também um indicador de que será capaz de cumprir com os seus compromissos financeiros.

    3. Situação profissional estável e um bom nível salarial

    Sabe-se que enquanto se está a começar a vida profissional nem sempre é possível garantir a estabilidade necessária para conseguir um empréstimo. Mas este não é só um requisito do crédito habitação jovem. Quanto mais estável for a sua vida profissional e financeira, maior é a probabilidade do banco conceder o empréstimo.

    Ter um rendimento regular e um vínculo laboral firme, de preferência numa empresa sólida que transmita confiança à entidade que lhe vai conceder o crédito habitação jovem, embora não seja decisivo, é seguramente um ponto a favor. Mas há outros parâmetros a analisar.

    Ter um bom nível salarial não é suficiente. Mais do que isso, é importante que o valor de financiamento seja adequado ao seu poder de compra. O que pode permitir-lhe ter uma taxa de esforço menor, sendo uma garantia adicional de que tem os rendimentos necessários para cumprir com um dos requisitos do crédito habitação jovem.

    4. Fiador

    Quando pede financiamento para comprar casa no âmbito do crédito habitação jovem, as instituições bancárias poderão solicitar algumas garantias adicionais para assegurar que recuperam o dinheiro, no caso de deixar de conseguir pagar a prestação por algum motivo.

    A hipoteca do imóvel que será comprado é a garantia mais comum, contudo, se tiver menos de 25 anos, é possível que o banco também lhe peça um fiador – alguém que se responsabilize pelo pagamento da dívida, se deixar de conseguir pagar. Esta garantia não é obrigatória, mas, se for demasiado jovem, o banco pode considerar que o risco de incumprimento é superior, por não ter estabilidade financeira e profissional. Nesse sentido, ter um fiador pode ser um requisito do crédito habitação jovem. No caso da UCI, por exemplo, é muito raro nos pedidos de crédito habitação jovem ser solicitado um fiador.

    5. Bom histórico bancário

    É importante que o banco confie em si para aumentar a probabilidade de conceder o crédito habitação jovem. Por isso, um dos documentos que será analisado é o mapa de responsabilidades de crédito, no qual é possível consultar o histórico bancário e se alguma vez não cumpriu com as suas responsabilidades de crédito.

    Vamos imaginar que teve um cartão de crédito e esteve alguns meses sem conseguir pagar a prestação. Devido a este historial, a instituição à qual pretende pedir o crédito habitação jovem pode ter dúvidas e necessitar de esclarecimentos sobre o que motivou o incumprimento. Dependendo da situação e da gravidade, a instituição de crédito pode mesmo recusar conceder o empréstimo.

    É, portanto, importante que seja transparente e, se tiver tido algum incidente no passado, o comunique inicialmente, sendo muito importante que tenha todas as situações de incumprimento regularizadas na altura do pedido do crédito. Este fator ajuda a construir uma relação de confiança com o banco.

    Cuidados a ter quando procura crédito habitação jovem

    Se preenche os requisitos do crédito habitação jovem, está na hora de passar à próxima etapa: encontrar a solução de financiamento adequada ao seu caso.

    Escolher a taxa de juro

    Deve refletir bastante na escolha da taxa de juro associada ao seu empréstimo. Pode escolher entre taxa variável, fixa ou mista.

    Tem dúvidas sobre como escolher a melhor taxa de juro para si, veja o nosso vídeo!

    Se optar por taxa variável, pode ter uma prestação inferior a curto prazo, mas se a Euribor subir – tal como está previsto que aconteça até ao final de 2022 –, a prestação poderá aumentar. Pelo que, num crédito habitação jovem com taxa variável, é fundamental analisar a sua situação financeira atual, mas também a futura. Isto é, avalie se continua a ter capacidade para pagar a prestação no caso das taxas de juro (Euribor) virem a subir 1% ou 2%.

    A outra opção, a taxa fixa, embora possa representar hoje uma prestação mais alta, permite-lhe ter a segurança que no futuro o valor dessa prestação não irá variar, e não ter assim, de viver em sobressalto com a evolução da Euribor.

    Procurar em vários bancos

    Não fique com a primeira proposta que lhe apresentarem, nem procure exclusivamente o Banco onde já é cliente atualmente. Encontrar o crédito habitação jovem adequado às suas necessidades implica fazer várias simulações e testar diferentes cenários até descobrir o crédito habitação jovem ideal para si.

    Lembre-se que se escolher o crédito habitação jovem da UCI, não precisa de abrir uma nova conta, preocupar-se com domiciliações, nem alterar os débitos diretos. Simplesmente pode manter a conta no seu Banco habitual e pagar a prestação através dessa mesma conta, sem ter de mudar nada.

    Não se foque apenas no spread

    O spread é a margem de lucro do banco quando concede um empréstimo. Este é fixado tendo em conta vários fatores, nomeadamente:

    • O seu perfil de risco;
    • O valor do empréstimo;
    • As garantias concedidas;
    • A contratação de outros produtos (seguros, cartões de crédito, depósitos a prazo ou PPR).

    Mas atenção: um empréstimo habitação com spread mais baixo não é, necessariamente, mais barato. O spread é só um dos custos do empréstimo, entre muitos outros, pelo que é preciso ponderar todos os outros elementos do crédito habitação jovem, como o MTIC, a TAEG e a contratação de outros produtos.

    Leia ainda: Como escolher o melhor empréstimo habitação?

    Documentos necessários no crédito habitação jovem

    Para iniciar o pedido de crédito habitação jovem, comece por reunir a documentação necessária. Os documentos principais, se for trabalhador por conta de outrem, serão:

    • Documento de identificação válido;
    • Cartão de contribuinte;
    • Os 3 últimos recibos de vencimento;
    • Declaração da entidade patronal a comprovar vínculo contratual e antiguidade na empresa.
    • O extrato bancário dos últimos 3 meses (ou até 6, dependendo dos casos);
    • A última declaração de IRS, bem como a nota de liquidação (ambos facilmente obtidos através do portal das finanças).

    Com esta documentação inicial, o banco já poderá avaliar se o seu pedido de crédito habitação jovem tem ou não viabilidade. Depois, ao longo do processo, poderão ser necessários outros documentos, por exemplo, relativos ao imóvel que quer comprar, mas à medida que o processo for avançando vai saber o que é preciso em cada momento.

    Crédito habitação jovem com fiador: o que é necessário?

    Se a apresentação de fiadores for um requisito para a aprovação do crédito habitação jovem, então saiba que estes também devem cumprir uma série de critérios para assegurarem ao banco a sua capacidade financeira e que são um reforço para a operação.

    A instituição financeira irá, portanto, analisar o perfil dos fiadores, nomeadamente os seus rendimentos mensais, o património (se têm por exemplo um imóvel para dar como garantia), o histórico de crédito bancário e a estabilidade financeira. Para fazer esta análise, poderão ser solicitados documentos dos fiadores (em muito semelhantes aos documentos pedidos ao cliente bancário). Entre os quais:

    • Documento de identificação;
    • Declaração de IRS + nota de liquidação;
    • Recibos de vencimento dos últimos três meses;
    • Última declaração de IRS e a nota de liquidação.

    O caminho pode parecer longo, mas a verdade é que o pedido de crédito habitação jovem é bastante similar a qualquer outro pedido de crédito para compra de casa. Analise bem a sua situação para perceber se cumpre com os requisitos do crédito habitação jovem e não pense à partida que só por ser jovem não vai conseguir a aprovação do empréstimo. A idade não é tudo, como vimos ao longo deste artigo. Comece agora à procura do lar perfeito e realize o sonho de ter a sua própria casa com a ajuda da UCI. Para falar com um especialista em crédito habitação jovem, entre em contacto connosco.

    Os artigos de Blog da UCI tratam de temas atuais que pretendem ser úteis aos nossos leitores. No entanto, é possível que alguns dos artigos mais antigos possam conter informações desatualizadas. Por isso, aconselhamos que verifique sempre a data de publicação do artigo.

    Partilhar